Tacacachaça!

Prato típico da amazônia vira drinque nas mãos dos irmãos Castanho
O tacacachaça é servido em cuia, como o prato indígena
O Tacacachaça é servido em cuia, como o prato que deu origem ao drinque

Não são apenas as caipirinhas que aparecem como opção de bons drinques para quem se senta nos balcões do Remanso do Bosque e do Remanso do Peixe. Bebe-se também, nos dois restaurantes dos irmãos Thiago e Felipe Castanho, clássicos como Negroni, Margarita e gim tônica. Mas com agradável diferencial: tudo elaborado com frutas amazônicas e com destilados, bitters e infusões de criações exclusivas dos irmãos.

Trata-se de uma variedade de aromas frescos e sabores complexos. Há o Negroni preparado com gim envelhecido em barril de castanha-do-pará, e bitter de laranja com embiriba para os apreciadores do drinque do momento. Com o mesmo gim prepara-se a gim tônica com infusão de hibisco.

O jambu sour leva cachaça maturada na folha conhecida pelo leve formigamento que causa na boca. A bebida é finalizada com espuma de clara de ovo preparada com garrafa ISI, de acordo com a tendência mundial.

Para brincar com o tacacá (a iguaria amazônica mais adorada do Brasil), a dupla criou o tacacachaça, feito com maracujá, cachaça de jambu e folha de jambu. Servido na cuia, é muito parecido com o prato indígena.

Os irmãos Felipe e Thiago Castanho
Os irmãos Felipe e Thiago Castanho

“Se você tomar um gole generoso da cachaça de jambu, tem a sensação de que toda a sua cabeça treme. Alguns amigos estrangeiros que experimentam chegam a nos perguntar se não tem alguma droga ali”, conta Felipe, o irmão mais chegado aos drinques.

O bitter de laranja leva toque de anis-estrelado, canela e embiriba (frutinho de sabor cítrico e picante). Da mistura de vinho com stévia (planta brasileira considerada um adoçante natural), canela, anis e mix de cascas de árvores (com predominância de cumaru, a baunilha mentolada da Amazônia), deu-se origem ao vermute caseiro dos dois Remansos.

Se a Amazônia entrou na rota da gastronomia na última década, os irmãos Thiago e Felipe dão agora sua contribuição para entrar na rota da coquetelaria moderna.

REMANSO DO BOSQUE. Rua 25 de Setembro 2350, Marco, Belém – PA. Tel.: (91) 3347-2829.

REMANSO DO PEIXE. Travessa Barão do Triunfo 2590, Marco, Belém – PA. Tel.: (91) 3228-2477.