Talento em dobro

Receitas dos gêmeos Fernando e Juliano Basile, vencedores do Prêmio Gula 2015
Captura de tela 2015-12-03 às 17.05.19
Talento espelhado: os chefs Juliano e Fernando

São 20 tatuagens desenhadas por eles próprios, nos mesmos lugares do corpo e representando passagens de uma rara vida a dois entre panelas. Os dedos das mãos trazem cutelos, fouets e espátulas, além do símbolo yin-yang, do taoísmo. Com os punhos cerrados, as imagens formam a palavra “cook” (cozinhar, em inglês).

Há cozinha por todos os lados no mundo dos gêmeos Fernando e Juliano Basile, desde os 10 anos de idade, quando caprichavam na mise en place da pizzaria dos pais em Gonçalves, município de 4,5 mil habitantes na Serra da Mantiqueira, em Minas Gerais.

Foi poucos tempo depois, quando a família abriu na cidade o Le Gourmet Bistrot, em 2004, que a GULA descobriu os irmãos pré-adolescentes começando a aprontar em eventos mineiros, e publicou reportagem que desenhava um futuro promissor para a dupla.

volta_refeitas-8
Atum selado na bras com purê de figos

Aqui, o salto no tempo é necessário, até certa noite carioca de setembro de 2015, quando uma felicidade ímpar ganha os rostos espelhados dos irmão no Morro da Urca. Já ostentando as tatuagens e os brincos que resumem no visual a rápida história de sucesso, os gêmeos de 24 anos recebem o Prêmio Gula na categoria Chef Revelação.

Retorno Rural

A vitória é resultado do trabalho consolidado na cozinha da chef Carme Ruscalleda, no San Pol, um três estrelas Michelin no litoral da Catalunha, última parada antes de retornarem ao Brasil para oxigenar o menu do restaurante Volta, na Zona Sul do Rio. Recentemente, deixaram a casa e voltaram para a cidade natal, onde estão plantando e trabalhando com pequenos produtores para abrir o Geminus, realizando o sonho do restaurante próprio no interior rural de Minas.

Captura de tela 2015-12-03 às 17.17.11
Quando crianças, no interior, os gêmeos já brincavam na cozinha

“Chegamos pensando em fazer algo grande. Passamos seis anos longe do Brasil e as pessoas estão nos conhecendo. Nossa mãe ainda guarda em Gonçalves aquela matéria da GULA. Foi quando nos apaixonamos pela profissão”, diz Juliano.

Litoral Espanhol

O amor veio acompanhado de estudo, trabalho e concentração. Aos 14 anos, insistindo com o chef francês, conseguiram vaga na prestigiada Escola da Arte Culinária de Laurent Suaudeau, em São Paulo. Aos 16, convenceram Alex Atala a deixá-los passar as férias escolares no D.O.M., onde estagiaram em todas as praças da cozinha.

Captura de tela 2015-12-03 às 17.17.39
Tatuagens idênticas por todo o corpo fazem referência à trajetória dos irmãos

O apuro no trato com frutos do mar, vegetais e frutas carrega a marca d’água das ondas que lambem as praias catalãs de San Pol de Mar. Para os irmãos do interior brasileiro montanhoso, que brincavam de imaginar maneiras de conhecer o mundo, o posto de chefs de partida no templo luxuoso de Carme Ruscalleda foi uma dádiva. A cozinheira triestrelada é reconhecida no mundo inteiro pela perfeição no trato com os produtos sazonais.

“Abrimos os horizontes. Aprendemos a trabalhar os ingredientes de cada estação, a obter a melhor expressão dos produtos frescos”, conta Fernando. O chef diz que a dupla busca uma comida limpa, pura, mas com muito sabor. “Um ingrediente sozinho pode dar muito prazer. Se for um chuchu, vai ser aquele chuchu inesquecível”, completa.

Confira as receitas dessa matéria: